A Daimler divulgou resultados positivos em 2015. A companhia elevou suas vendas globais com a entrega de 2,9 milhões de veículos, entre automóveis, vans, caminhões e ônibus. O volume é 12% superior ao registrado em 2014. O resultado gerou faturamento de € 149,5 bilhões à empresa ao longo do ano passado, com evolução de 15%.

O lucro líquido chegou a € 8,9 bilhões, com crescimento de 21,9%. O Ebit, lucro operacional antes de encargos financeiros e impostos que indica os resultados da atividade principal da companhia, chegou a € 13,8 bilhões, montante 27,7% superior ao registrado em 2014. Com as operações aquecidas, a empresa aumentou em 1% a sua força de trabalho ao longo do ano passado, chegando a 284 mil funcionários.

“Nós implementamos a nossa estratégia com grande determinação nos anos recentes. O resultado é o nosso sucesso atual. Mesmo assim, nosso curso permanece inalterado: vamos continuar trabalhando para fortalecer o nosso negócio principal, crescer globalmente e liderar em termos de tecnologia”, declarou em comunicado Dieter Zetsche, presidente do conselho de administração da Daimler.

A expansão da companhia foi puxada pela divisão de automóveis, que aumentou o volume de vendas pelo sexto ano consecutivo, superando pela primeira vez a marca de 2 milhões de unidades emplacadas globalmente, volume 16% maior do que o de um ano antes. Segundo a empresa, o novo Classe C foi o principal responsável pelo aumento, além da boa demanda pelos utilitários esportivos da marca. O segmento de vans também registrou avanço importante, de 9% para 321 mil unidades, número recorde para a companhia.

Na divisão de caminhões os números não são tão expressivos. Houve alta, mas de apenas 1%, para 502,5 mil veículos entregues globalmente. O resultado é explicado pela queda nas vendas na América Latina e na Indonésia, mercados importantes para a empresa que encolheram no ano passado. Ainda assim, estas baixas foram compensadas por expansão dos negócios da marca na América do Norte e na Europa.

As vendas de ônibus da Daimler chegaram a 28,1 mil chassis em 2015, com redução de 15,3% sobre o ano anterior. Neste caso, as dificuldades na América Latina – principalmente no Brasil – não foram compensadas por volumes maiores de vendas em outras regiões.

Depois do bom resultado em 2015, a empresa mantém o otimismo para este ano. “Tudo indica que 2016 será mais um bom ano para a Daimler”, avalia Zetsche. O executivo, no entanto, reconhece que será essencial trabalhar muito para cumprir esta expectativa. Segundo ele, a companhia seguirá ampliando investimentos em pesquisa e desenvolvimento para oferecer novas soluções ao mercado. O foco é trabalhar em veículos altamente eficientes, com sistemas de propulsão com menor impacto ambiental e tecnologias avançadas de segurança. Direção autônoma e conectividade também estão entre as prioridades.

Ainda que a Daimler mantenha boa posição global, o Brasil mais uma vez não deve ser um dos alicerces do crescimento da companhia, que não enxerga sinais de recuperação no mercado nacional. A empresa espera nova contração do mercado este ano, desta vez da ordem de 10%. Ainda assim, estão mantidos os investimentos previstos para a região.